Teste de QI

O que é o QI?

Quociente de Inteligência ou QI é um método que permite medir a inteligência de uma pessoa. A escala de QI começa no zero e não tem limite superior, sendo que o QI mais alto alguma vez registado se situou perto de 300. O QI médio é uma pontuação de 100, e a maioria dos testes não dará uma indicação fiável para qualquer pontuação acima de 170 – ou seja, acima do nível génio, sendo necessária uma investigação mais completa para avaliar com detalhe essa inteligência.

Teste de QI

O que mede um teste de QI?

A inteligência, basicamente. A Inteligência e o QI não são o mesmo que “ser inteligente”, relacionando-se mais com a resolução de problemas e a utilização da lógica. Ou seja, a pergunta que algumas pessoas colocam, “Que QI tem um cão?” é absurda. A inteligência de um cão não pode ser quantificada na mesma escala da do ser humano.

Os testes de QI são justos?

Alguns fatores podem tornar os testes de QI justos. Tendo em consideração que um ser humano não é comparável a um animal, as capacidades aprendidas e as diferenças culturais não devem influenciar resultado de um teste de QI. De forma simples, se um teste de QI escrito em inglês for apresentado a um falante de inglês, essa pessoa pode pontuar 120. Se o mesmo teste for escrito em francês, o falante de inglês apenas conseguirá 10. Se aprendesse a ler francês, a sua pontuação subirá, mas essa flutuação não representaria a inteligência da pessoa em causa.

Por isso, os testes de QI podem ser justos se forem concebidos com esse fator em conta. Se usarem imagens abstratas e o número de cores for limitado (para evitar problemas com daltonismo), serão obtidos resultados mais precisos.

História dos Testes de QI

Os seres humanos sempre tiveram interesse em medir as suas próprias qualidades e as dos outros, mas foi preciso chegar o ano de 1904 para encontrar uma forma de medir a inteligência. Nesse ano, o psicólogo britânico Charles Spearman criou o “fator g”, uma medida de inteligência geral.

História dos Testes de QI

O termo “QI” foi cunhado por outro psicólogo, William Stern, tendo em consideração a idade de desenvolvimento de uma pessoa, e expressando-o na forma de percentagem da sua idade cronológica. O método utilizado nos dias de hoje é ligeiramente diferente, mas a terminologia continua idêntica.

Na década de 40, foram identificados diferentes tipos de inteligência, incluindo a inteligência fluida e a inteligência cristalizada, termos criados pelo psicólogo Raymond Cattell. O teste de QI concentra-se na inteligência fluida, ou seja, o tipo de inteligência analítica e identificadora de padrões. Pode ficar a saber mais sobre este tema na nossa página O que é a Inteligência?.

Obviamente, ainda antes de os testes de QI assumirem o seu estilo moderno, existiram tentativas de classificar as pessoas com base na sua inteligência. Uma das mais bem-sucedidas foi o teste de Binet-Simon, criado por Alfred Binet e Théodore Simon em 1905, focado nas capacidades verbais da pessoa.

Robert Yerkes ajudou o Exército dos EUA durante a Primeira Guerra Mundial com testes escritos e testes não verbais, que deram resultados tendo por base o desempenho – foi uma das primeiras tentativas de separar a inteligência do conhecimento.

David Wechsler criou um teste em 1939 centrado em vários subtestes, que permitiu obter uma avaliação mais completa do que os testes singulares anteriores. Na década de 60, o teste de Wechsler foi o teste de QI mais usado nos EUA e essa continua a ser a realidade nos dias de hoje.

Outras pesquisas e desenvolvimentos aumentaram a crença em vários tipos de inteligência, incluindo capacidades de processamento visual e auditivo, assim como raciocínio.

Testes de QI Online

Muitos testes de QI online baseiam-se atualmente nas investigações de David Wechsler, devido à análise abrangente que o teste pode facultar.

Resultados de um Teste de QI

O objetivo final de qualquer teste de QI é facultar uma indicação da sua inteligência. Os resultados do teste de QI podem ser apresentados na forma de um algarismo (a estimativa do seu QI), a amplitude onde se situa o seu QI (por exemplo, 100-110), um nome para essa amplitude (por exemplo, inteligência média, génio, etc.) ou uma indicação da percentagem de perguntas que conseguiu responder corretamente.

Teste de QI para Crianças

A forma de testar o QI numa criança é um tema bastante discutido e muitos testes de QI não facultam resultados válidos para crianças com menos de 16 anos. Apesar de existirem testes de QI para crianças, até mesmo online, podem não facultar resultados tão confiáveis quanto os testes para adultos.

Teste de QI para Crianças

Existe uma indicação de que o QI das crianças com idade entre os 5-7 anos correlaciona-se menos com o QI delas quando atingem os 17-18 anos, em relação à correlação com as idades entre 11-13 e 17-18 anos. Ou seja, de forma sucinta, isto quer dizer que as capacidades de inteligência e resolução de problemas se desenvolvem à medida que a criança cresce e, quanto mais jovem for a criança, menor a probabilidade de concluir com sucesso um teste de QI.

Testes de QI Grátis

Um teste de QI pode ser fiável, particularmente quando é gratuito? Sim, sem dúvida. Como dissemos acima, os testes de QI para pessoas com menos de 16 anos devem ser encarados com ceticismo, mas, aos 16 anos de idade, os testes de QI feitos corretamente podem fornecer resultados de testes de QI extremamente próximos aos testes offline feitos sob supervisão médica.

É importante garantir que o teste é culturalmente justo, já que isto impede a utilização de conhecimento prévio para concluir o teste – um teste de QI é um teste de inteligência, não de conhecimento. Qualquer um pode aprender fatos ao ler um livro, mas isso não revela inteligência.

O que é um QI médio?

Em qualquer população, um QI médio é sempre 100. À medida que mais pessoas fizerem testes de QI, a pontuação média nos testes poderá alterar-se e, dessa forma, o QI das pessoas será modificado para se adaptar.

Como funciona a pontuação num teste de QI?

Por exemplo, se três pessoas fizerem um teste de QI e pontuarem 50%, 75% e 100%, a pontuação média será 75%. Ou seja, qualquer pessoa que pontuar 75% terá um QI de 100.

Contudo, se outras dez pessoas fizerem o teste e obtiverem uma pontuação de 50% ou abaixo, as pontuações médias do teste de QI aproximar-se-ão de 50% - por exemplo, 57%. A próxima pessoa que fizer o teste pontua 60% e, com isso, terá um QI acima de 100.

Isto acontece porque a pontuação média passou a ser 57%, ou seja, pontuar 57% é necessário para ter um QI de 100. Por ser uma média, quanto mais pessoas fizerem o teste, maior é a sua precisão, já que a média será ajustada devido a um maior número de pontos de referência.

Quais são as amplitudes médias de QI?

Como tal, um QI entre 90 e 109 é considerado normal. A zona abaixo de 70 pode designar-se como deficiência mental ligeira, enquanto pessoas entre 130 a 139 são consideradas superdotadas.

O nível génio situa-se acima de 140 e apenas uma ínfima percentagem da população se encaixa nessa categoria – similarmente, apenas uma pequena percentagem tem um QI de 50 ou menos, e é por essa razão que a média funciona tão bem.

Pode ficar a saber mais sobre isto na nossa página Definição de QI.

Que teste de QI devo fazer?

Existem muitos testes online, mas a nossa recomendação é fazer o Worldwide IQ Test. Foi concebido por um médico experiente para ser aplicado a pessoas acima dos 16 anos e é culturalmente justo. Além disso, evita problemas relacionados com o daltonismo, pois a capacidade de distinguir cores também não é um fator determinante da inteligência.

Que teste de QI devo fazer?

Muitas pessoas já ouviram falar sobre o Teste de QI da Mensa e querem também juntar-se à sociedade Mensa. O nosso teste não permite a entrada na Mensa, mas servirá como uma forte indicação sobre a sua capacidade de vir a pertencer à Mensa.

Teste de QI Mensa

O teste de QI Mensa é reconhecido como um dos testes mais difíceis. O seu QI pode ser extraído dos resultados e ter sucesso geralmente exige uma pontuação no teste de QI superior a 140.

Temos mais informação sobre o teste Mensa no nosso artigo do Teste de QI Mensa.

Limite do Teste de QI Mensa

O critério para obter aprovação no teste é pontuar acima de 98% da população, como tal, apenas 2 em cada 100 pessoas passarão no teste. Não pode repetir o teste e uma segunda sessão é bastante comum, tornando a Mensa um clube particularmente exclusivo.

Saiba mais no nosso artigo Limite do Teste de QI Mensa.

A Preparação para o Teste Mensa

A preparação é decisiva para muitas coisas e passar no teste Mensa não é exceção. Ter uma dieta saudável e cuidar de si pode parecer algo que melhora o seu bem-estar físico em vez do seu estado mental, mas ambos estão relacionados.

A melhor forma de se preparar é fazer um teste de QI verdadeiro, se possível várias vezes, antes de se submeter ao teste Mensa. Isso ajudá-lo-á a familiarizar-se com o formato das perguntas, a sensação de completar um teste de QI e dar-lhe-á uma ideia do seu QI atual. Se estiver bem abaixo de 140, precisará de treinar mais.

O meu QI pode mudar?

Sim, e isso poderá não ter nada que ver consigo. Apesar de o treino poder melhorar a sua inteligência, o seu QI é avaliado em relação à média de todas as outras pessoas que fazem o teste. Se muitas pessoas obtiverem pontuações baixas, o QI médio será menor, mas continuará a ser 100. Isso significa que sua pontuação de QI aumentará em relação à população em geral.

O meu QI pode mudar?

Mas isto não deve afetar a forma como se prepara para um teste Mensa. Quanto mais treinar o seu cérebro antes de fazer o teste, melhor. Pode ficar a conhecer mais detalhes sobre essa abordagem lendo o artigo Como Treinar para o Teste Mensa.

Efeito Flynn

Desde a criação do sistema de IQ, os resultados nos testes de QI melhoraram ao longo do tempo. A média é recalculada periodicamente e a pontuação necessária para atingir um QI de 100 num teste aumentou.

Se a média nunca tivesse sido recalculada, as pontuações de QI teriam aumentado aproximadamente 3 pontos por década, desde 1920. Após muita investigação, parece que essa tendência é suscitada por fatores ambientais, e não pela genética.

Este aumento no QI ao longo do tempo foi designado por Efeito Flynn, devido a James R Flynn, autor do livro “The Bell Curve”, onde este fenómeno foi pela primeira vez identificado.

Uma desaceleração, ou mesmo a reversão do Efeito Flynn, foi identificada nas últimas décadas em alguns países ocidentais, mas também aí o fenómeno parece ter origem ambiental.

3 Génios com o QI mais elevado

A história da humanidade está repleta de génios, alguns mais conhecidos do que outros. Os cientistas estão muitas vezes na vanguarda deste grupo, com nomes como Albert Einstein e Sir Isaac Newton mas existem génios em muitas áreas. Aqui ficam 3 outros génios sobre os quais já deve ter ouvido falar.

Leonardo Da Vinci

Leonardo Da Vinci nasceu em 1452 no território que hoje designamos por Itália. Talentoso e repleto de ideias, assim como uma curiosidade para descobrir tudo o que o rodeava, estima-se que o QI de Leonardo estava perto de 220.

QI mais alto Leonardo da Vinci

Desde as suas obras de arte, que incluem a Mona Lisa e a Última Ceia, a desenhos de anatomia humana e projetos de robôs e armas de guerra, além de paraquedas e pontes. Muitos dos seus projetos são itens comuns ou banais nos tempos modernos, mas é preciso recordar que Da Vinci teve essas ideias há 500 anos!

Stephen Hawking

Julga-se ter tido uma pontuação de QI superior a 160, contudo, não se sabe se Stephen Hawking alguma vez se submeteu a um teste de QI, e não apreciava quem se gabava dos seus resultados. Contudo, antes de falecer em março de 2018, Stephen Hawking provou em larga escala aquilo que a sua mente era capaz, ao analisar e solucionar problemas que eram universais em dimensão e natureza.

Stephen Hawking IQ

Vítima dos efeitos da ELA, uma das descobertas mais conhecidas de Hawking relacionou-se com a radiação emitida pelos buracos negros, algo até então desconhecido. Investigações posteriores sobre a física teórica e quântica estabeleceram as bases para muito do que sabemos atualmente sobre o universo, superando possivelmente a contribuição de Einstein para a física teórica.

Garry Kasparov

Garry Kasparov, que se julga ter tido um QI de 190, deve grande parte da sua reputação ao fato de ter sido um ex-campeão mundial de xadrez. A sua notável mente analítica tornou-o um fantástico adversário para qualquer jogador de xadrez. Tornou-se número 1 mundial em 1984, à época o jogador mais jovem a consegui-lo.

Garry Gasparov IQ

De lá para cá, tornou-se um ativista político e agora coloca as suas capacidades de resolução de problemas para resolver questões de direitos humanos.

3 Coisas Que Deve Saber Sobre O Teste De QI

1 – O Seu QI não representa o seu valor

A sua capacidade de fazer o seu trabalho, ser pai ou ser amigo não é refletida no seu QI. O seu QI é uma medida da sua capacidade de solucionar quebra-cabeças lógicos e atividades de solução de problemas em comparação com o resto da população, trata-se de uma medida de sua inteligência – ponto.

2 – Pode melhorar os seus resultados num teste de QI

Se fez um teste de QI, e ficou desapontado com o resultado, prepare-se adequadamente para o próximo. Coma bem, durma bem, faça alguns testes práticos. Tudo o que faz para melhorar a sua inteligência irá ajudá-lo a aumentar a sua pontuação num teste de QI.

3 – As perguntas de um teste de QI foram feitas para serem difíceis

Se não souber responder a uma ou duas (ou várias) das perguntas de um teste de QI, tal não significa que o teste de QI é muito difícil. Foi projetado para ser difícil, para verificar o seu desempenho – se todas as perguntas fossem fáceis, qualquer pessoa seria genial!

3 Coisas Que Deve Saber Sobre O Teste De QI

Por que razão devo fazer um teste de QI?

Qualquer pessoa ambiciona melhorar-se a si mesmo e a sua posição na vida. Saber o seu QI é como um ponto de partida... e, mais importante, fazer testes de QI pode ser algo divertido! Então, do que está à espera? Faça o seu primeiro teste de QI agora mesmo!

Quer saber qual é o seu QI?
FAÇA HOJE O NOSSO
TESTE DE QI OFICIAL! →